O texto de Cantares 1:5 é racista?

Ct 1:5 “Eu sou morena, mas sou bonita; ouviram, moças de Jerusalém? A minha pele queimada é da cor das cabanas escuras de Quedar. O Rei Salomão: Mas sua pele é macia como as cortinas de seda do rei Salomão! A Moça:”Ct 1:5 – Biblia Viva.

A tradução no verso “eu sou MORENA, porém bela” em Cantares 1.5 está correta?

Afinal, por que “morena” aparece nas traduções sucedida pela conjunção adversativa “mas”, “porém”? Ser “morena” é demérito ou o problema é na tradução?

Algumas traduções:

NVI: Estou escura, mas sou bela…
NAA: Eu sou morena e bonita…
A21: Estou morena, mas sou bela…

Então o texto de Cantares 1:5 é racista?

As questões em Cantares são bem mais sérias do que essa, nessa “tradução” onde está morena, é negra mesmo.

ipsis literis, o termo usado em hebraico ( שְׁחוֹרָ֤ה / šə·ḥō·w·rāh) é negra, dizendo de si mesma. Esse “problema” de negar a Sulamita como negra, é recorrente das traduções de língua portuguesa. A motivação parece óbvia.

Para a época das traduções para o português, a escravidão, uma sociedade escravocrata, como a portuguesa colonial, a mentalidade faz essa censura, evitando o constrangimento dessa relação, entre um dos personagens mais célebres, e uma mulher negra.
O problema maior é a tradição tradutória se manter ao longo do tempo, preferindo termos como “escura”, “morena”, para evitar o constrangimento.

Também na septuaginta, o termo usado (μέλαινα / melaina) não dá margem ao “morena”, também é negra.
ainda há a questão que, o texto original não suporta o “mas”, dessa tradução usada, mas sim o “e”.

Posted in teologia-fateos.